Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Participe do Censo Sociocultural de Estudantes Internacionais da Unilab

Data de publicação  28/04/2021, 11:46
Postagem Atualizada há 21 horas
Saltar para o conteúdo da postagem

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, através da Pró-Reitoria de Relações Institucionais e Internacionais (Prointer/Unilab), lançou, nesta terça-feira (27), o Censo Sociocultural de Estudantes Internacionais, uma ação que visa aprimorar os processos de seleção, acolhimento e acompanhamento executados pelo setor. Serão levantadas informações que envolvem procedência regional, etnia, bagagem cultural e trajetória anterior ao ingresso na jovem Unilab, que em 2020 completou 10 anos de sua criação.

Para participar, é necessário que o estudante esteja logado em sua conta Google. O formulário, disponível até 28 de maio, é dividido em duas partes: a primeira, com uma sequência de 17 perguntas, e a segunda, na qual o participante deve fazer upload de uma foto legível de seu passaporte/visto/RNE, como forma de identificação. Os dados coletados serão arquivados de forma restrita e utilizados para fins estritamente institucionais.

#Unilabiano, colabore preenchendo AQUI!

Segundo dados do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA), extraídos em novembro de 2020, a Unilab conta com 1188 estudantes internacionais na graduação, cerca de 23% do total de discentes. É uma das mais expressivas comunidades internacionais no cenário das universidades brasileiras. Embora a instituição disponha de dados por nacionalidade, pouco ainda se sabe quando se trata das especificidades no perfil desses estudantes.

“Eles acabam carregando identidade nacional, apenas. Esses alunos são seres culturais, étnicos, falantes de mais de duas línguas, que vêm com suas cargas culturais, suas tradições”, pontua Artemisa Monteiro, pró-reitora da Prointer.

Artemisa explica que a unidade tem interesse em compreender melhor o itinerário percorrido pelo estudante a partir de sua realidade local, como conheceu a Unilab e quais principais dificuldades nesse processo. “Queremos ouvir os estudantes para nos contarem quais são essas trajetórias, a fim de que a gente melhore o processo seletivo e faça parcerias mais específicas”, complementa ela, que também é natural de Guiné-Bissau e que construiu sua trajetória de formação acadêmica no contexto da diáspora.

Outro aspecto que também motiva o censo é o desafio de expandir a seleção internacional além das capitais dos países, onde são sediadas as embaixadas brasileiras, por meio de acordos com instituições locais. O levantamento contribuiria ainda para que a instituição aprimore sua forma de lidar com os conflitos que surgem no contexto da integração multicultural.

Informações no site da Prointer ou na Coordenação de Seleção, Acolhimento e Acompanhamento, pelo email: (csaa.prointer@unilab.edu.br).

Categorias