Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Seminário Soberania, Segurança Alimentar e Saúde: comunidades tradicionais, população negra africana e diaspórica acontece de 6 a 8 de julho

Data de publicação  04/07/2022, 09:20
Postagem Atualizada há 4 semanas
Saltar para o conteúdo da postagem

Nos dias 6 a 8 de julho acontece o Seminário Internacional Soberania, Segurança Alimentar e Saúde: comunidades tradicionais, população negra africana e diaspórica, evento que será na modalidade híbrida, sendo o polo físico no campus dos Malês da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), localizado no município de São Francisco do Conde (BA). As inscrições podem ser feitas por meio de preenchimento e envio de formulário, que encontra-se neste link.

Os objetivos do Seminário estão pautados no projeto dos Agentes de Pastorais Negros – APNs, de discutir a falta de implantação e fiscalização de políticas públicas de forma efetiva no âmbito das temáticas do evento (soberania, segurança alimentar) -inclusive neste período de pandemia -, fatores que resultam no aumento das desigualdades sociais brasileiras.

O evento é organizado pela Unilab/campus dos Malês, por meio do mecanismo CPLP, com Agentes de Pastorais Negros (APNs), uma entidade do movimento negro fundada em 1983 e que, desde então, desenvolve ações de enfrentamento ao racismo e a todas as formas de preconceitos, propondo ao Estado Brasileiro Políticas Públicas, em especial, de ações afirmativas que garantam à população negra e a comunidades tradicionais o acesso aos direitos humanos e à cidadania.

Neste sentido, os APNs estão desenvolvendo junto a Fiocruz um projeto – que denuncia a invisibilidade de vozes que buscam erradicar as desigualdades sociais, econômicas e o genocídio da população negra – a ser apresentado durante este evento de Seminário. As instituições organizadoras, bem como as apoiadoras, têm ciência que as desigualdades sociais no Brasil foram escancaradas durante a pandemia e, neste cenário, a população negra africana continental ou diaspórica está presente com alto índice em todos as vertentes – desemprego, baixo nível escolar, difícil acesso à saúde e alimentação, dentre outras.

Desta maneira, construir esse Seminário Internacional se faz necessário pela urgência dos pontos mencionados, seguidos por três eixos prioritários: Segurança Alimentar; Sistema Único de Assistência Social e Saúde da População Negra a nível nacional e internacional.

Categorias
Palavras-chave

CONTEÚDO RELACIONADO