Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Unilab participa de Assinatura do Termo de Entendimento com a Secti-BA, para contribuir em ações no âmbito do Plano Estadual de Economia de Hidrogênio Verde

A solenidade de assinatura aconteceu no dia 14/12, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb)

Data de publicação  16/12/2022, 10:57
Postagem Atualizada há 1 mês
Saltar para o conteúdo da postagem
                                                               Representantes da Secti-BA e de Instituições de Ensino Superior da Bahia, em encontro para firmar parceria no âmbito do Plano Estadual de Economia de Hidrogênio Verde

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (Secti-BA) e as  Instituições de Ensino Superior da Bahia – entre elas a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) – participaram da solenidade de Assinatura do Termo de Entendimento, para o desenvolvimento de ações em parceria, no âmbito do Plano Estadual de Economia de Hidrogênio Verde. O evento aconteceu no dia 14 de dezembro, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

O ato é parte de um conjunto de ações estratégicas promovidas pelo governo do Estado da Bahia, para cumprimento do Decreto Estadual nº 21.200 de 02 de março de 2022, que instituiu o Plano Estadual para a Economia do Hidrogênio Verde – PLEH₂V. O referido Plano foi lançado, tendo como objetivo a promoção, o fortalecimento e a consolidação da produção, processamento e utilização, bem como da pesquisa científica, tecnológica e da inovação a essas associadas, do hidrogênio verde como matéria-prima em processos industriais e como insumo energético nos diversos setores da economia, em particular na indústria, na mobilidade urbana e nos transportes. Isso visa à implantação, modernização e diversificação de empreendimentos e a consolidação da cadeia produtiva do hidrogênio verde no Estado.

Segundo o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, André Pinho Joazeiro, o Plano Estadual para a Economia do Hidrogênio Verde é uma alavanca de reindustrialização da Bahia, através do potencial de sua matriz energética, com o compromisso de aliar economia e meio ambiente e promover desenvolvimento a partir de práticas que conduzem ao fim da dependência do carbono e do petróleo, gerando sustentabilidade e respeito à natureza.

O secretário executivo da Comissão Especial de Hidrogênio Verde, Roberto Fortuna, apresentou um panorama das ações iniciada pelas comissão, que já conta com a participação dos seguintes órgãos de Estado: Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti); Secretaria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE); Secretaria de Meio Ambiente – Sema, Secretaria de Infraestrutura  (Seinfra);  e Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). Para ele, a participação das Universidades Públicas e Institutos Federais, além do Senai/Cimatec, representa um avanço importante nas pesquisas e desenvolvimento de tecnologia e inovação previstos como etapas de execução do Plano.

Para Anderson Leite, Presidente do Comitê Científico do PLEH₂V, a rede formada entre Estado e Ensino Superior é uma oportunidade de transformar ciência em inovação e tecnologia para a geração de riquezas para a Bahia e o Brasil.

Parceria com Unilab

                                                                                                                         Diretora do campus dos Malês/Unilab, Mírian Reis, no ato de Assinatura do Termo de Entendimento

Estiveram presentes na solenidade representantes de todas as Instituições Públicas de Ensino Superior baianas, que puderam, no ato de assinatura, tecer breves comentários. Na ocasião, a diretora do Campus dos Malês/Unilab, professora Mírian Reis, parabenizou o governo da Bahia pelos sucessivos movimentos de parceria com as universidades. “Isso demonstra a compreensão de que a pesquisa é ação prioritária para a promoção do desenvolvimento. A participação da Unilab nesta rede de cooperação que alia ações de governo, economia e sustentabilidade representa também a possibilidade de projetar estratégias que atendam não apenas às demandas econômicas dos países desenvolvidos, mas que promovam compartilhamento de tecnologia e incentivo ao desenvolvimento no Sul global, em especial com os países africanos de língua portuguesa, parceiros da Unilab”, afirma.

O reitor da Unilab, Roque Albuquerque, também destaca o papel da Unilab/campus dos Malês,na atuação junto aos países parceiros, no setor de hidrogênio verde. “É motivo de satisfação para a Unilab participar desse processo. Uma universidade pública, federal, que pode coletar essas experiências e auxiliar os países parceiros da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), especialmente Palops e Timor-Leste, a fazerem essa transição para carbono zero, totalmente neutro do carbono, com uma economia punjante, consistente, mas também preocupada com nosso habitat, nosso oikos, que é a nossa casa”, afirma. Ele também aponta para esse tempo de transição, na tentativa de um movimento global de encerrar a emissão do carbono, tendo o hidrogênio verde como parte essencial desse processo. “E a Bahia, na minha concepção, sai na frente e esse momento da assinatura marca o compromisso do governo baiano para ser pioneiro no Nordeste e mostra o empenho total para que tenhamos condições de ter um compromisso no qual a economia se move claramente mais aliada ao meio ambiente”, pontua.

Após a conclusão das formalidades de publicação do Acordo de Entendimento, será estabelecida uma agenda de trabalho alinhada com as representações de todos os órgãos associados e que definirão os próximos passos para a execução das metas de desenvolvimento do Plano Estadual de Economia de Hidrogênio Verde. “A presença da Unilab nesta rede de inovação e tecnologia é mais uma passo para o cumprimento de sua missão institucional e para a sua consolidação em território baiano”, aponta a diretora Mírian Reis.

Categorias
Palavras-chave

CONTEÚDO RELACIONADO