Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Universidade Brasileira alinhada à integração com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

VII Semuni mostra a importância das parcerias, adaptações no uso das tecnologias e engajamentos que dinamizaram as universidades na Pandemia

Data de publicação  16/06/2021, 14:29
Postagem Atualizada há 3 meses
Saltar para o conteúdo da postagem

Na manhã desta terça-feira (15), foram abertos os trabalhos da VII Semana Universitária da Unilab (Semuni), com abordagem sobre os “Desafios da Universidade em Tempos de Isolamento Social”, via canais da Unilab (Youtube Oficial da Unilab e do canal Youtube da Semana Universitária).

A mesa de abertura foi mediada pela servidora técnico-administrativa Márcia Cabral, com apoio dos intérpretes de Libras da Propae/Unilab, e participação especial dos representantes da Reitoria da Unilab, Roque Albuquerque e Cláudia Carioca – reitor e vice-reitora, da diretora do Campus dos Malês/BA, Mírian Reis, da pró-reitora de Graduação (Prograd), Geranilde Silva e dos pró-reitores: Olavo Garantizado, de Pesquisa e Pós-Graduação (Proppg); James Ferreira, de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae) e Carlos Mendes Tavares, de Extensão, Arte e Culturas (Proex).

Abertura da VII Semana Universitária da Unilab (Semuni)

Roque Albuquerque, reitor e professor da Unilab, além de realizar a abertura do evento, destacou a importância do engajamento de todos para uma maior participação nos eventos da VII Semuni, além de apresentar as ações que estão sendo realizadas pela gestão e demais equipes administrativas, neste período de Pandemia do Covid19, nas unidades do Ceará e da Bahia.

“É desafiador. Quando falamos de Pandemia, é necessário que, com todo respeito, possamos memorizar e lembrar cada um de nós daqueles que sofreram grandes perdas. A Vida é muito importante, com todas as suas complexidades. É necessário todos os cuidados. Precisamos ter a chance de sermos vacinados, para o então retorno presencial” – Roque Albuquerque

Roque acrescentou que foi realizado o primeiro planejamento do Calendário Acadêmico para que este período que está em curso, continue até setembro, para quando houver uma revisão, ponderar e analisar a situação sanitária de todo país, para então tomar uma decisão em conjunto, de qual será o formato.

“A nossa Universidade, mesmo diante da Pandemia, não parou. Precisamos parabenizar a todas as nossas equipes. Em destaque, a organização do evento que vai trazer mais de mil apresentações de várias áreas de pesquisas, realizadas pelos estudantes do Ceará e da Bahia”, declarou o reitor da Unilab. 

Quanto ao orçamento reduzido disponível no momento, as ações estão sendo viabilizadas para garantir a manutenção dos auxílios estudantis. “É neste momento que o gestor aparece e precisamos contar com a contribuição e compreensão de todos. Estou convidando toda a comunidade unilabiana, a neste momento, estarmos unidos e pensarmos em alternativas que possam resolvem o problema. Chegue perto, peça uma explicação. Vem dialogar conosco. Estamos engajados para tentar, não somente dirimir, mas continuar desenvolvendo nossa jovem Unilab”, esclareceu Roque Albuquerque.

“É de parcerias e experiências partilhadas que falamos na Semana Universitária da Unilab”

Direto da Bahia, a diretora do Campus dos Malês/BA, professora Mírian Reis fala da troca de experiências intrínseca da Unilab, entre os brasileiros e os povos lusófono, nos ensinados cotidianamente, com experiências diversas que vão desde o acolhimento, afeto, saber científico partilhado com saberes tradicionais. “Como essa troca faz da Unilab uma universidade única”. Acrescentou que, dessas parcerias surgem trabalhos potentes, em que estudantes pensam a sua realidade, pesquisam sobre suas realidades e que vão promover reflexões e, com certeza, vão expirar, quem sabe, novas políticas públicas, políticas para pensar o desenvolvimento regional, no Brasil e na África lusófona. “É de parcerias e experiências partilhadas que falamos na Semana Universitária da Unilab”, destacou a professora do Instituto de Humanidades e Letras (IHL/BA).

James Moura Jr, pró-reitor da Propae destacou a realização da V Mostra da Vida Estudantil, dentro da programação da VII Semuni, que será no período da tarde desta sexta-feira (18), a partir das 13h30.

“As pegadas na areia do tempo não são deixadas por pessoas sentadas”, ditado africano citado pela pró-reitora da Prograd, Geranilde Silva em referência as ações desenvolvidas pela Unilab, que não está parada. “Não estamos sentados esperando o tempo passar. Estamos fazendo o tempo acontecer”, afirmou a professora Geranilde. Apresentou também as atividades que serão coordenadas pela Prograd durante a programação da VII Semuni (Encontro de Egressos, Monitoria, Pethl, Pibid, Iniciação a docência e outros).

Sobre a organização e a oferta de apresentações dos trabalhos nessa edição da Semuni, com a escolha pela comunidade do Maciço do Baturité e do Recôncavo Baiano, através das mídias sociais, elegendo os “Desafios da Universidade em Tempos de Isolamento Social”, Olavo Garantizado, pró-reitor da Proppg, agradeceu a participação de todos os estudantes, docentes, equipes das pró-reitorias e demais setores da Unilab, finalizando com a apresentação do quantitativo oficial do evento, já com quase 900 pessoas inscritas: 83 encontros de pós-graduação; 94 encontros de monitoria acadêmica; 12 trabalhos de egressos; 45 programa Pulsar; 24 trabalhos da Mostra Estudantil; 173 encontros de Arte e Cultura; 380 encontros de Iniciação Científica; 52 encontros de Práticas Docentes; 162 encontros de Iniciação a Docência e Habitação e outras atividades ao longo da programação no site da Semuni.

“A Universidade se inscreveu, está participando, mesmo de forma virtual. É por isso, a nossa Unilab, nesse momento, no evento de aniversário, está de parabéns. Pela primeira vez, tudo estará no Youtube. Tudo poderá ser visto, as apresentações da Unilab em qualquer lugar, em qualquer território” – Olavo Garantizado

Mesa-redonda do evento sobre: “Pesquisa e pós-graduação no contexto da pandemia”

Dando continuidade, a primeira mesa-redonda do evento sobre: “Pesquisa e pós-graduação no contexto da pandemia” ocorreu logo em seguida com os convidados:  Robério Rodrigues Silva, professor e pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPG/UESB) e Laura Hévilla Inocêncio Leite, vice-reitora e pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da Universidade Federal do Cariri (PRP/UFCA).

A atividade foi mediada pelo professor Olavo Garantizado, pró-reitor da Proppg/Unilab, com o apoio dos intérpretes de Libras da Propae/Unilab.

A professora da PRP/UFCA, Laura Hévilla Leite, trouxe as observações e experiências sobre seu estudo, e em destaque, deixou um questionamento pertinente: os “Jovens defendem a ciência mas desconhecem a produção cientifica do país”. Para a pesquisadora Laura, “não é que a produção científica está diminuindo. É que a produção científica não é de conhecimento da população na sua totalidade. (…) se nós não temos uma produção de ciências grande, como é o real, temos mais produção de fake news, menos informação disseminada, menos valorização da produção e da pesquisa, ficando muito difícil de saber como sair dessa crise. É através da ciência que a gente reduz as crises”, esclareceu Laura.

No contexto de adaptação das práticas pedagógicas e do desenvolvimento das pesquisas do ensino-aprendizado da graduação e pós-graduação, considerando a circunstância da Pandemia, o professor da UESB, Robério Silva defendeu que as universidades públicas, e demais instituições de ensino superior, buscaram mitigar o efeito da pandemia sob a rotina funcional, utilizando-se dos instrumentos e equipamentos do modelo virtual, apresentando as experiências realizadas em sua instituição. “É muito importante que tudo de positivo que foi descoberto, as potencialidades de uso das ferramentas de comunicação remota sejam aperfeiçoadas e mantidas. (…) a Internacionalização é algo que será afetado, de forma positiva pelas ferramentas, como também os intercâmbios nacionais e principalmente a realização das reuniões”.

Robério Silva acredita que muito desse desgaste físico que existia, a partir da descoberta desses mecanismos mais econômicos, menos desgastantes, “iremos conseguir manter a parte positiva, necessária para o melhor entendimento da pesquisa, ensino e extensão, e assim, conseguiremos retornar para as atividades presenciais”, finalizou Robério.

Sobre a VII Semuni

A VII Semuni será transmitida via canais: Youtube Oficial da Unilab e do canal Youtube da Semana Universitária (mesas, minicursos, palestras, rodas de conversa e encontros científicos, apresentação de trabalhos), com retransmissão para Facebook e Youtube. 

Os interessados em participar das atividades deverão preencher o Formulário Eletrônico e seguir as orientações do mesmo. 

Para não perder nenhuma atividade e realizar suas inscrições de forma mais eficiente, orienta-se que acesse antes o cronograma de todos os eventos. Observe o dia, horário e o link da sala que está disposto na última coluna de cada atividade. 

Confira o Mapa de apresentações dos trabalhos.

Outras informações pelo contato: (semuni@unilab.edu.br) e no site da Semuni.

Categorias
Palavra-chave

CONTEÚDO RELACIONADO