Relações Internacionais

Grau: Bacharelado
Modalidade: Presencial
Duração mínima: 6 (seis) semestres
Carga horária: 3080 horas
Turno de oferta: Integral
Local de oferta: Campus dos Malês (Avenida Juvenal Eugênio Queiroz, S/N – Baixa Fria – São Francisco do Conde – BA – CEP: 43.900-000)

Perfil do Egresso

O bacharel em Relações Internacionais deve ter uma formação diversificada, que permita sua atuação de forma articulada, crítica e construtiva diante de seus contextos diversos, partindo de uma sólida base de conhecimentos, que fortaleça sua habilidade de comunicação intercultural e a sua capacidade de interação, análise e compreensão dos meios social, econômico, político e cultural. O profissional deve ser capaz de coordenar estudos e projetos de forma organizada e articulada, analisar e propor estratégias e políticas em nível micro e macro, regional e internacional, tendo como base capacidade de decisão e liderança e um conjunto de habilidades e competências específicas. O profissional deve dominar a língua inglesa, indispensável para atuar ao nível internacional. A atuação desse profissional é abrangente, tanto no serviço diplomático, setor público, setor privado, atrelado a uma perspectiva cidadã, construtiva e crítica, e de pensamento estratégico, de análise de cenários e proposição de ações de curto, médio e longo prazo. O aluno adquirirá uma base ampla de conhecimentos nas áreas da Economia, Antropologia, Filosofia, Sociologia, Direito, História, Ciência Política com incidência no universo das Relações Internacionais, que possibilite o entendimento das questões internacionais no seu contexto histórico, socioeconômico, geopolítico, jurídico, cultural, social e institucional; uma visão crítica e competência para adquirir novos conhecimentos; o domínio das habilidades relativas à efetiva comunicação e expressão oral e escrita; proficiência em língua inglesa; a capacidade de análise, avaliação e proposição de cenários para atuação na esfera internacional; e a capacidade de tomada de decisões, gestão de processos e resolução de problemas numa realidade diversificada e em constante transformação a partir de um profundo entendimento das realidades brasileira, africana e internacional.

Ambientes de Atuação

O profissional que o curso pretende formar será habilitado para atuar no serviço diplomático, em organizações nacionais, regionais e internacionais, instituições públicas e privadas, com ou sem fins lucrativos, em trabalhos técnicos, de assessoria ou de pesquisa. Neste sentido, relacionam-se como possíveis áreas de atuação dos formandos em Relações Internacionais:

1) Carreira Diplomática: no país de origem, no caso de estrangeiros, e no Brasil, via ingresso por concurso público do Instituto Rio Branco para o quadro do Ministério das Relações Exteriores;

2) Ensino e Pesquisa, via atuação no setor de ensino público e privado como professor pesquisador na área das Relações Internacionais;

3) Autoridades locais, provinciais e estaduais, por meio de assessoria, consultoria, negociação, planejamento estratégico e capacitação para entes subnacionais como municípios, províncias ou estados federados, visando a sua inserção no cenário mundial, regional e local, por meio da cooperação com o respectivo governo nacional, demais Estados, organizações internacionais governamentais e não governamentais, atores e movimentos diversos da sociedade civil;

4) Organizações Regionais e Internacionais Governamentais, por meio de assessoria, consultoria, desenvolvimento de projetos, negociação, planejamento estratégico, capacitação e atuação como funcionário e/ou voluntário;

5) Setor Diplomático e Civil: assessoria, consultoria, planejamento estratégico, negociação, capacitação para atuação em parlamentos, Câmaras de Comércio, Consulados e Embaixadas e áreas afins;

6) Sociedade Civil: assessoria, consultoria, planejamento estratégico, negociação, capacitação para atuação em Organizações Internacionais Não Governamentais e Movimentos Sociais em geral;

7) Setor Político-Partidário: assessoria, consultoria, planejamento estratégico, negociação, capacitação para partidos políticos, cooperação e interação entre sociedade civil e setor público;

8) Setor Privado: assessoria, consultoria, planejamento estratégico, negociação, capacitação para atuação em empresas privadas das mais diversas áreas de atividades (indústria, comércio, instituições financeiras, setor de serviços);

9) Atividades Diversas do Setor Público e Privado: cooperação técnica internacional, elaboração de acordos e projetos internacionais, análise e prospecção de cenários, planejamento estratégico e análise de conjunturas, prestação de serviços de consultoria, atuação em setores diversos como mídia em suas múltiplas aplicações contemporâneas (virtual, escrita, audiovisual, dentre outras).

Ocultar área secundária
Ícone de seta para alternar a visualização da sidebar